/Geórgia, um resumo histórico

Geórgia, um resumo histórico

thumb_img_7809_1024

Um país de apenas 4,5 milhões de habitantes, escondido nas montanhas do Cáucaso, com uma longa história e cultura bem particular.

Trata-se de um povo de língua não indo-europeia com sua própria escrita.

No 2o milênio antes de Cristo o reino local de Cólquida aparece no épico grego de Jasão e os Argonautas que vieram a Kutaisi atual em busca do velocino de ouro e traz de volta também a princesa Medeia cuja ira a traição de Jasão a leva a se vingar matando os próprios filhos. Na antiguidade também tem registros do reino Ibéria, no leste do país.

thumb_img_7842_1024

thumb_img_7864_1024

No séc I o rei Parnavasi institui uma escrita própria.

No séc. IV a Santa Nino, da Capadócia, evangeliza o povo georgiano que adota o cristianismo como religião oficial em 337 – o 2o reino do mundo a adota-lo, após a Armênia em 301. Capital Mtskeda.

No séc V o reino unificado tem Tblisi como capital.

Disputada entre os impérios Bizantino e Persa, a Geórgia acaba se dividindo em pequenos feudos que facilitarão a conquista árabe no séc. VI.

thumb_img_7872_1024

No séc. X o rei Bagrati III, da dinastia Bagrationi, reunifica o país e estabelece Kutaisi como capital do reino. No século seguinte seu neto David, o construtor, governa no período dourado da Geórgia Medieval. Grande estrategista contrata um exercito composto por guerreiros de uma das tribos das montanhas do Cáucaso e leva o reino a sua expansão territorial máxima se estendendo do mar Negro ao mar Cáspio. Além de promover as ciências e artes, trazendo intelectuais e artistas da Anatólia e Mesopotâmia constituindo centros de saber como a Academia de Gelati, construída no séc. XI em um mosteiro nos arredores de Kutaisi. O rei David conquistou também maior estabilidade interna indicando clérigos de sua confiança como patriarcas – a maior posição da igreja local. Este período de prosperidade permanece ate o reinado de sua bisneta, a rainha Tamar, que no séc. XII ficou conhecido como a era da renascença cultural e artística.

thumb_img_7694_1024

Nos séculos seguintes o Cáucaso sofreu com invasões de mongóis e turcos vindos da Ásia Central.

No final do séc. XVIII o rei de Kartli-Kakheti, região central da Georgia, pressionado entre Turcos e Persas, solicita a proteção Russa com o tratado de Georgievsk (em cujo tratado Rússia tinha de endossar a sucessão real).

Em 1801, a Russia aproveita da morte do rei e o vácuo de poder da transição real para anexar a Geórgia extinguindo o reino que passa a ser domínio Czarista pelos próximos 120 anos.

Com a Revolução Russa e a derrota Otomana na 1a Grande Guerra, a Geórgia aproveita o momento de fragilidade de seus poderosos vizinhos e declara sua independência. A efêmera republica acaba sendo, apenas três anos depois, incorporada a União Soviética . A republica Transcaucasiana e sub-dividida, já na época do georgiano Stálin em 1936, nas 3 republicas soviéticas da Georgia, Armênia e Azerbaijão. Com o desmoronamento da União Soviética tornam-se 3 países independentes em 1991